Connect with us

Geral

Indústria automotiva do Brasil para completamente com pandemia do coronavírus

Publicado

em

Todas as 65 fábricas de carros, caminhões, ônibus e máquinas agrícolas do Brasil estão ou ficarão paradas como reflexo do avanço do novo coronavírus, segundo a Anfavea, a associação das fabricantes.

O levantamento da Anfavea não inclui motos. No entanto, Honda e Yamaha, as duas maiores empresas do setor, que têm mais de 90% do mercado, já anunciaram paradas em suas fábricas, localizadas em Manaus.

As medidas foram tomadas individualmente pelas empresas, e levam em consideração dois fatores importantes: a necessidade do isolamento e do distanciamento social e a queda na demanda por veículos.

Como muitas concessionárias estão fechadas, não há necessidade de continuar produzindo. Além disso, a própria Anfavea estimava, em fevereiro, que o estoque nas lojas e pátios de fábricas era suficiente para 37 dias.

Vale ressaltar, porém, que a paralisação das fábricas de veículos não é um fenômeno brasileiro. Várias fabricantes têm adotado medidas semelhantes para tentar conter o avanço do coronavírus em outros países.

Veja abaixo as fabricantes que anunciaram a interrupção na produção de veículos no Brasil.

Automóveis

Em janeiro e fevereiro, o segmento mais volumoso dessa indústria produziu quase 400 mil veículos. As 34 fábricas ficarão paradas até meados de abril.

Fábricas de automóveis paradas

Fabricante Cidade
Audi São José dos Pinhais (PR)
BMW Araquari (SC)
Caoa Chery Jacareí (SP)
Caoa Hyundai Anápolis (GO)
Chevrolet São Caetano do Sul (SP)
Chevrolet São José dos Campos (SP)
Chevrolet Mogi das Cruzes (SP)
Chevrolet Gravataí (RS)
Chevrolet Joinville (SC)
FCA – Fiat Chryser Betim (MG)
FCA – Fiat Chrysler Goiana (PE)
FCA – Fiat Chrysler Campo Largo (PR)
Ford Camaçari (BA)
Ford Taubaté (SP)
Ford/Troller Horizonte (CE)
Honda Sumaré (SP)
Honda Itirapina (SP)
Hyundai Piracicaba (SP)
Jaguar Land Rover Itatiaia (RJ)
Mercedes-Benz Iracemápolis (SP)
Mitsubishi/Suzuki Catalão (GO)
Nissan Resende (RJ)
PSA – Peugeot Citroën Porto Real (RJ) – 2 fábricas
Renault São José dos Pinhais (PR) – 4 fábricas
Toyota São Bernardo do Campo (SP)
Toyota Indaiatuba (SP)
Toyota Porto Feliz (SP)
Toyota Sorocaba (SP)
Volkswagen São Bernardo do Campo (SP)
Volkswagen Taubaté (SP)
Volkswagen São Carlos (SP)
Volkswagen São José dos Pinhais (SP)

Caminhões e ônibus

Até agora, Mercedes-Benz, Volvo, Volkswagen, Daf, Iveco e Agrale detalharam os planos de paralisação na produção de caminhões e ônibus no Brasil. A Scania, porém, não informou o período em que sua unidade de São Bernardo do Campo (SP) ficará sem operar.

Entre janeiro e fevereiro, foram produzidos mais de 16 mil caminhões e ônibus no Brasil.

Fábricas de caminhões e ônibus paradas

Fabricante Cidade
Agrale Caxias do Sul (RS) – 2 fábricas
Daf Ponta Grossa (PR)
Iveco Sete Lagoas (MG)
Mercedes-Benz São Bernardo do Campo (SP)
Mercedes-Benz Juiz de Fora (MG)
Mercedes-Benz Campinas (SP)
Scania São Bernardo do Campo (SP)
Volkswagen/Man Resende (RJ)
Volvo Curitiba (PR)

Máquinas agrícolas e de construção

O setor de máquinas agrícolas e rodoviárias produziu, em janeiro e fevereiro, pouco mais de 6 mil unidades. Entre as fabricantes, a CNH Industrial, dona das marcas Case, New Holland e Iveco suspendeu os trabalhos de suas 7 fábricas no Brasil, assim como a John Deere, que paralisou a produção desde o dia 25 de março as atividades em 6 fábricas no país.

Fábricas de máquinas agrícolas paradas

Fabricante Cidade
Agrale Caxias do Sul (RS)
AGCO Canoas (RS)
AGCO Santa Rosa (RS)
AGCO Ibirubá (RS)
AGCO Mogi das Cruzes (SP)
Caterpillar Piracicaba (SP)
Caterpillar Campo Largo (PR)
CNH Industrial Curitiba
CNH Industrial Contagem (MG)
CNH Industrial Piracicaba (SP)
CNH Industrial Sorocaba (SP)
John Deere Horizontina (RS)
John Deere Montenegro (RS)
John Deere Catalão (GO)
John Deere Indaiatuba (SP)
Komatsu Suzano (SP)
Komatsu Arujá (SP)
Komatsu Pinhais (PR)
Volvo Pederneiras (SP)

Publicidade
Publicidade

Mais Lidas