Connect with us

Manchetes

Agente penitenciário alega que ‘perdeu a cabeça’ durante discussão e matou a esposa

Publicado

em

A Polícia Civil abriu inquérito para investigar a morte da jovem Renata Alves, de 24 anos, que foi assassinada na noite desta segunda-feira (30), no bairro Pioneiro 2, em Martinópolis. O marido, Alex Betti, de 35 anos, que é agente penitenciário, confessou o crime e foi preso em flagrante. O Boletim de Ocorrência foi registrado como feminicídio.

O delegado Airton Roberto Guelfi, responsável pelas investigações, disse que o casal teria começado uma briga após o homem alegar que a esposa o estava traindo.

O autor contou à polícia que a desconfiança teve início quando uma pessoa próxima a ele disse que sua esposa o estaria traindo. O marido ainda contou em depoimento que começou a juntar elementos e a prestar atenção nos atos da vítima e flagrou a troca de mensagens no celular dela com outro homem.

Ainda em depoimento à polícia, o autor afirmou que “perdeu a cabeça” durante a discussão e cometeu o crime.

“Eu estive na cena do crime, ele disparou três tiros contra a esposa”, contou o delegado.

O autor contou à polícia que estava afastado do cargo de agente penitenciário havia alguns meses, por questões psicológicas, porém, o delegado descarta a possibilidade de que isso tenha sido motivo para que ele cometesse o crime.

A arma utilizada pelo autor foi apreendida, era de sua propriedade e estava regular.

“Acredito que ele tenha sido mantido com a arma, mesmo afastado do cargo, por questões de segurança própria, devido às ameaças que agentes penitenciários recebem de presos constantemente. No entanto, isso será apurado durante o inquérito, assim como a causa de seu afastamento”, esclareceu Guelfi.

O delegado disse que os celulares da vítima e do autor do crime foram apreendidos para perícia.

O homem foi preso em flagrante por feminicídio e será levado ao Centro de Detenção Provisória (CDP) de Caiuá, onde aguardará por audiência de custódia, na Justiça, que irá decidir se ele será mantido preso preventivamente.

Foi solicitado um posicionamento da Secretaria da Administração Penitenciária do Estado de São Paulo, a respeito do afastamento do agente penitenciário Alex Betti do cargo e da posse de uma arma de fogo por ele. Até a publicação desta reportagem, ainda não houve resposta ao posicionamento solicitado. (FONTE: G1 Presidente Prudente)

A imagem pode conter: 1 pessoa, texto

Publicidade
Publicidade

Mais Lidas