Connect with us

Geral

ARTIGO: Mantenha a calma em tempos de quarentena

Publicado

em

Uma das ações adotadas como combate da pandemia de COVID19 é o distanciamento social, que consiste na orientação para ficar em casa e se afastar das outras pessoas da convivência social com a intenção de diminuir a transmissão do vírus.

Ver o ser humano dentro do modelo biopsicossocial é ampliar a percepção de fatores inerentes a condição global do indivíduo. O conceito estuda a deterioração da saúde numa perspectiva da correlação de fatores biológicos, psicológicos e sociais. Assim sendo, é necessária uma prevenção psicológica, pois não há somente o problema viral acontecendo, ocorre também questões de problemas emocionais e sociais durante a quarentena, porque as pessoas não estão dissociadas e sim integradas sistemicamente de maneira holística.

São necessárias e importantes as ações preventivas contra o Novo Coronavírus:

1) lavar as mãos frequentemente por 20 segundos com água e sabão ou higienizá-las com álcool em gel.

2) cobrir o nariz e a boca com um lenço ou o cotovelo ao tossir e espirrar.

3) evitar contato próximo (um metro de distância) com pessoas que não estejam bem.

Mas dentro do sistema de isolamento social são necessárias algumas ações para a manutenção da Saúde Mental, evitando ou atenuando as situações de sintomas de estresse pós-traumático, sintomas depressivos, tristeza, abuso de substância, estado confusão metal e irritabilidade.

A Saúde Mental de uma pessoa está conectada ao modo como ela reage às cobranças da vida e ao jeito que acomoda suas vontades, competências, anseios, fantasias e sentimentos. Todas as pessoas podem expor sinais de dor psíquica em algum momento da existência.

Para conseguir manter a saúde de nossas emoções devemos atentar para algumas posturas atitudinais, que podem ser um auxílio durante o período de quarentena:

Pensar na coletividade.

Uma maneira de não entrar no fatalismo é ser apoiado para quem precisa. Se puder coloque-se a disposição para ações colaborativas, tais como: ir ao comércio para um idoso, apoiar ações de ajuda humanitária, divulgar nas redes sociais os serviços de autônomos que neste período estão com dificuldades de trabalho, dar preferência ao uso de produtos e serviços de pessoas que podem estar com maior problema de fluxo se caixa nesse período, não se aproveitar da crise para dar desculpas para não honrar os compromissos quando isso é possível (tem o dinheiro do aluguel, mas fala para o locatário que não tem devido à crise).

Reduzir o tempo de aquisição de notícias sobre a pandemia.

Não veja tudo. Diminua a participação dos grupos de WhatsApp, deixe de ver todos as postagens dos jornais e reportagens da televisão. Isso invade seu pensamento de tal forma que sua mente começa a entender que o mundo é somente doenças. Ache fontes oficiais (com moderação) para se informar e não   compartilhe dicas, mensagens de alertas ou receitas caseiras para vencer o vírus. Isso vicia. Pense, “dona Maria já achou algo que os cientistas do mundo inteiro ainda não descobriram”. Devemos ter bom senso.

Criar e manter um plano de ação para seu corpo, mente e espírito.

Tome um pouco de sol, pois a luz solar é uma grande fonte de vitamina D, além de propiciar em muitos a sensação de autocuidado (não é à toa que as praias fazem tanto sucesso). Busque praticar exercícios em casa e modere a ingestão de produtos alimentícios prejudiciais à saúde, refrigerantes, doces, etc. Se estiver trabalhando em home-office cuide para não extrapolar. Melhore o tempo com refeições (momento sem celular) e pratique a gratidão, antídoto preventivo para a “loucura”.

Não fique sem fazer nada por muito tempo.

Dá aquela arrumada geral que você estava planejando, aprenda coisas novas, poste mensagens motivadoras, telefone para alguém e fale coisas positivas. Isso cria a sensação de que sua vida não foi roubada, e você tem o controle de muitas situações.

  1. E) Desenvolver a espiritualidade.

Tenha fé em Deus, faça orações, cante louvores, acompanhe um devocional diário e leia a Bíblia. Com Deus podemos ter a esperança de dias melhores em nossas vidas. Já passamos por situações difíceis e com a confiança no Todo-Poderoso poderemos conseguir a força necessária para o momento atual de dor e sofrimento, pois com o grande problema que a humanidade enfrenta, ela está sendo treinada para o entendimento que é necessária uma vida com mais solidariedade, como Jesus ensinou.

 

Aguinaldo Adelino Carvalho

Palestrante, Professor, Psicoterapeuta e Teólogo.

Publicidade
Publicidade

Mais Lidas