Connect with us

Geral

CORONAVÍRUS: 588 mortos em SP, uma a cada quatro cidades do Estado tem casos da doença

Publicado

em

O número mortos por coronavírus no estado de São Paulo subiu para 588 neste domingo (12). Há mais de uma uma semana, em 4 de abril, eram 260 mortes, segundo divulgou a Secretaria Estadual de Saúde. No sábado (11), eram 560 mortes confirmadas.

Entre as vítimas fatais, estão 339 homens e 249 mulheres. Os óbitos continuam concentrados em pacientes com 60 anos ou mais, totalizando 73,4% das mortes. As mortes foram registradas em 63 municípios do estado.

O número de casos confirmados foi de 8.419, no sábado, para 8.755 neste domingo. Já são 162 cidades com pelo menos um caso, o que representa um município em cada quatro do estado, crescimento de 63,6% em uma semana.

A maioria dos infectados, segundo levantamento da TV Globo, tem idades entre 30 e 39 anos.

O estado de São Paulo tem 39% das confirmações da doença no Brasil e mais de 3 vezes o número do Rio de Janeiro, segundo local mais afetado no país.

Isolamento social

Após ter subido dez pontos percentuais entre quinta-feira (9) e a sexta-feira Santa (10), a taxa de isolamento social caiu de novo no sábado (11) e chegou a 55% no estado de São Paulo (veja gráfico acima), segundo o sistema de monitoramento inteligente do governo estadual feito com base nos dados dos celulares da população. (saiba como o sistema funciona).

Na segunda (6) e terça (7), o estado tinha taxa de 54% de isolamento, que caiu para 49% na quarta e chegou a 47% na quinta (9), menor taxa já registrada desde o início da quarentena. Na sexta, o índice subiu para 57% e caiu para 55% neste sábado.

Segundo o governo estadual, para controlar a disseminação da Covid-19, o índice ideal é de 70%. O estado nunca chegou a esta taxa: o ápice da quarentena em São Paulo ocorreu no último domingo (5), com 59% de adesão. O índice de isolamento social caiu 12,9% na última semana.

O governador João Doria (PSDB) prometeu tomar medidas mais rígidas na segunda-feira (13), inclusive com prisão para quem desrespeitar as orientações, caso o isolamento não chegue a mais de 60% neste final de semana. Nesta sexta (10), o prefeito da capital, Bruno Covas, disse à GloboNews que atua em conjunto com o governo do estado e que medidas de “intervenção de algumas ruas” da cidade não estão descartadas.

As medidas de isolamento social foram adotadas para tentar conter o avanço do coronavírus, com quarentena que vai até 22 de abril em todo o estado.

Publicidade
Publicidade

Mais Lidas