Connect with us

Geral

Governo de SP anuncia que vai começar a testar casos leves de coronavírus por RT-PCR no estado

Publicado

em

O governo de São Paulo anunciou nesta sexta-feira (15) que terá uma mudança de protocolo em relação à maneira como os testes para detecção do novo coronavírus são realizados no estado. Segundo o coordenador do Centro de Contingência em SP, Dimas Covas, os testes RT-PCR serão ampliados também para casos leves da doença a partir da próxima segunda-feira (25).

Esse tipo de teste é considerado o mais eficaz para detectar a infecção, já que rastreia o material genético do vírus Sars-CoV-2. Ele é diferente dos chamados “testes rápidos”. A orientação anterior era de que o RT-PCR fosse realizado apenas em casos graves (de internação), mortes ou em profissionais de saúde.

“Essa segunda fase compreende a ampliação dos testes RT-PCR, num primeiro momento para os contatos dos pacientes graves, e num segundo momento a ampliação para os pacientes sintomáticos leves. Na segunda-feira (18), os municípios receberão uma norma técnica já iniciando a testagem dos pacientes leves. Esses pacientes não estavam sendo atendidos até então, porque existe a recomendação que eles fiquem em casa, então agora tem uma sistemática de que esses pacientes serão atendidos”, disse Dimas Covas em coletiva de imprensa.

Devido à explosão de casos no país durante a pandemia e a escassez de recursos para a realização de testes em massa, o Ministério da Saúde recomendou para os estados que as testagens do tipo RT-PCR fossem realizadas em casos graves e mortes.

No entanto, isso faz com que os casos leves acabem de fora das estatísticas oficiais de casos confirmados. A subnotificação desses casos dificulta a medição do tamanho exato da pandemia para a criação de estratégias de enfrentamento.

São Paulo chegou a ter uma fila com mais de 17 mil amostras represadas à espera de resultado. Após a aquisição de novos kits e ampliação da capacidade de processamento dos laboratórios, o governo afirma agora que a rede trabalha com “capacidade ociosa”, o que permitiu a ampliação para os casos leves.

“Desde o dia 9 de abril nós fizemos 55 mil testes de PCR. Hoje a rede opera com uma certa ociosidade, então por isso está sendo ampliada para outras populações”, disse Dimas Covas.

Publicidade
Publicidade

Mais Lidas