Connect with us

Geral

Hospital de Prudente registra ampliação nos atendimentos ligados ao câncer de mama

Publicado

em

No Hospital Regional (HR) de Presidente Prudente “Dr. Domingos Leonardo Cerávolo”, mesmo em meio à pandemia de COVID-19, o número de atendimentos relacionados ao câncer de mama na unidade aumentou de 1.931 no ano passado para 3.126 neste ano, considerando o período de janeiro a agosto de ambos os períodos. Ou seja, houve um salto de 61,8% nos dados coletados para o comparativo.

Segundo o médico oncologista do HR André Genaro, a ampliação nos atendimentos se deve à tendência nacional e mundial de expansão da doença. “O câncer é uma doença multifatorial que está relacionada ao aumento da perspectiva de vida, consumo crescente de bebidas e alimentos industrializados, o sedentarismo e o tabagismo”, explica.

Além disso, o médico ressalta que a prevenção por parte da população ainda é a melhor arma na luta contra o câncer de mama. “É preciso praticar atividade física, se alimentar de forma saudável, evitar o consumo de bebidas alcoólicas e uso de hormônios sintéticos, como anticoncepcionais e terapias de reposição hormonal sem indicação médica”, completa.

Sentir na pele

A paciente do serviço de oncologia do Hospital Regional, Marcia Regina da Silva, de 51 anos, conta que apesar de ter encerrado as sessões de quimioterapia há sete anos, continua realizando o acompanhamento necessário com exames de imagem, uso de medicamentos e consultas com um especialista.

“Hoje, vejo que venci uma batalha muito dura, mas, logo quando descobri não tinha dimensão do que era aquele ‘caroço’ sob o meu seio. Eu acreditava que era apenas uma glândula inflamada e não dei tanta importância, mas quando procurei um médico e tive o diagnóstico o meu mundo caiu”, revela.

Segundo Marcia, aos poucos tomou forças para entrar nessa batalha para vencer: primeiro veio a cirurgia; depois, a quimioterapia e a radioterapia. “Quando terminei os procedimentos, me senti aliviada e muito agradecida a todos que me ajudaram a superar essa dificuldade. Ao me olhar no espelho, não me incomodava a queda do cabelo, porque eu via isso como o símbolo da minha vitória. Me tornei inspiração para outras pessoas e passei a dar valor nos pequenos detalhes da vida, assim, percebi que é preciso agradecermos o milagre da vida, enquanto houver vida, haverá esperança”, enfatiza a paciente.

Diferencial

O acolhimento humanizado por toda a equipe médica e multiprofissional com os pacientes na unidade refletem a gratidão expressada nas palavras de quem venceu esta longa jornada.

“Fui muito bem acolhida e tratada no HR, fiz muitos amigos e criei laços para a vida toda com os colaboradores, voluntários, médicos e pacientes. Só tenho a agradecer por todo o carinho e cuidado que recebi no decorrer do meu tratamento”, finaliza Marcia.

Publicidade
Publicidade

Mais Lidas